Cafeicultura: África busca referências de práticas agrícolas adotadas no Espírito Santo

Uma comitiva da África, composta por Angola, Kenya, Rwanda e Malawi, visitou a Sede do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), em Vitória, a fim de conhecer a cafeicultura capixaba e as tecnologias desenvolvidas pelo Instituto, além de entender por que a cafeicultura do Brasil tem crescido a cada ano e como é realizada a interface entre os órgãos estatais e as empresas privadas.

Integraram a comitiva Santos Helder da Ouro Negro Exploration (Angola), Bernard Kaunda da Mzuzu Coffee (Malawi), Odhiambo Murwayi da Sucafina Kenya, Millicent Onjoro da Fairview (Kenya), David Kendagor e Bernard Gichovi da Coffee Directorate (Kenya) e Jean Aime e Alice Uwineza da Sustainable Harvest (Rwanda). Todos foram recepcionados pelo coordenador estadual de cafeicultura, Abraão Carlos Verdin, e por pesquisadores do Instituto.

Um dos temas discutidos durante a visita foi a queda da produção de café nas fazendas estatais da África nos últimos 30 anos. Portanto, o objetivo foi buscar referências para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas à cafeicultura, com o objetivo de ampliar a produtividade cafeeira dessas regiões.

Na ocasião, Verdin apresentou as principais tecnologias desenvolvidas pelo Instituto que possibilitaram o incremento de produtividade nas lavouras cafeeiras capixabas. “As tecnologias desenvolvidas pelo Incaper elevaram a produtividade, a qualidade e a sustentabilidade do parque cafeeiro, possibilitando que a cultura do café mantivesse sua elevada importância social e econômica para o Espírito Santo”, afirmou.

Segundo ele, o Instituto é uma referência internacional na produção do café Conilon, mundialmente conhecido como robusta, e a vinda de várias comitivas confirma essa informação. “Trocamos experiências e estamos abertos a transferir esse conhecimento e desenvolver não só nosso estado e nosso país, mas o mundo da cafeicultura como um todo. Somos responsáveis por esse compartilhamento de informações”, lembrou Verdin.

Nos últimos anos, as visitas internacionais foram frequentes no Incaper e a cafeicultura capixaba recebeu visitas técnicas de países como Uganda, Tanzânia, México, Malásia Colômbia e Estados Unidos.

Programação da comitiva

A comitiva, após a recepção na Sede do Incaper, em Vitória, seguiu para a Fazenda Experimental do Incaper de Venda Nova do Imigrante para conhecerem o Laboratório de Qualidade de café. Também está prevista a visita até a Fazenda Experimental do Incaper em Marilândia, a fim de conhecerem o trabalho de pesquisa em Conilon desenvolvido pelo Instituto e a adoção das tecnologias desenvolvidas e recomendadas.

Posteriormente seguirão para São Gabriel da Palha para conhecer os jardins clonais de café em e à propriedade do cafeicultor Bento Ventorim, em São Domingos do Norte, que se tornou referência na produção de café Conilon no Estado pela adoção das tecnologias desenvolvidas e recomendadas pelo Incaper, que garantem uma produção mais sustentável e de qualidade.

Fonte e foto Incaper

:)