Composição partidária Ales muda a partir desta semana

Com a proximidade da posse dos deputados na sexta-feira (1º) as atenções se voltam para a nova composição das 30 cadeiras. O governador Renato Casagrande (PSB) deve ter maioria no Plenário Dirceu Cardoso com o apoio inicial de pelo menos 17 parlamentares eleitos pela coligação do socialista.

São eles: Vandinho Leite, Marcos Mansur e Emílio Mameri (todos do PSDB); Bruno Lamas e Sergio Majeski (PSB); Luciano Machado e Marcos Garcia (PV); Dary Pagung e Lorenzo Pazolini (PRP); Theodorico Ferraço (DEM), Carlos Von (Avante), Euclério Sampaio (DC), Marcelo Santos (PDT), Renzo Vasconcelos (PP), Fabrício Gandini (PPS), Raquel Lessa (Pros) e Enivaldo dos Anjos (PSD).

Em relação ao peso das representações partidárias, o PSL vai estrear no Parlamento capixaba com a maior bancada, quatro deputados. O partido do presidente Bolsonaro elegeu três egressos do meio policial: Capitão Assumção, Coronel Alexandre Quintino e delegado Danilo Bahiense; e ainda o jornalista Torino Marques.

No oposto desse cenário, o PRB, que atualmente tem a maior bancada, também com quatro deputados, ficará com metade: continuam o presidente Erick Musso e Hudson Leal, enquanto saem Amaro Neto (eleito deputado federal) e Cláudia Lemos.

Além do PSL, o PV e o Avante também estavam sem representantes no Parlamento, mas conseguiram eleger deputados. No caso do PV, foram eleitos Luciano Machado e Marcos Garcia. Já o Avante elegeu Carlos Von.


Os tucanos vão aumentar a presença na Casa com a representação subindo para três deputados. Além da reeleição do pastor Marcos Mansur, a sigla contará com o médico Emílio Mameri (novato na Casa) e Vandinho Leite (ex-parlamentar estadual).

O PRP também cresce, pois manteve Dary Pagung e contará com o colega delegado Lorenzo Pazolini (estreante na política). Já MDB, PSB, PDT, PT e Pros reduziram a sua participação. Doutor Hércules e José Esmeraldo serão os representantes do MDB, que perdeu Luzia Toledo. No campo socialista, as três cadeiras atuais serão reduzidas para duas, com as reeleições de Sergio Majeski e Bruno Lamas – Freitas não foi reeleito.

O PDT terá como representante único Marcelo Santos (Luiz Durão ficou de fora), assim como o PT, com a representação da ex-deputada federal Iriny Lopes (Nunes e Padre Honório não retornaram), e o Pros, com a deputada Raquel Lessa (Sandro Locutor tentou vaga na Câmara Federal).

Já DEM (Theodorico Ferraço), DC (Euclério Sampaio), Patriotas (Rafael Favatto), PMN (Janete de Sá) e PSD (Enivaldo dos Anjos) continuarão com os mesmos deputados ocupando cada sigla apenas uma vaga na Casa.

PP (Renzo Vasconcelos), Rede (Alexandre Xambinho), PPS (Fabrício Gandini) e PTB (Adílson Espíndula) mantém suas vagas com novos nomes que ocuparão as vagas dos atuais respectivos representantes: Jamir Mailini, Marcos Bruno e Gildevan Fernandes.

Fonte Wanderley Araújo e foto Tati Beling

:)