Pessoas que estão realizando tratamento de câncer podem continuar rotina de medicação normalmente

Entre as principais formas de tratamento de tumores, está a radioterapia, especialidade médica em que são utilizadas diferentes formas de radiação ionizante com o objetivo de curar a doença e de controlar o crescimento das células tumorais ou de amenizar os sintomas.

Conforme a Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT), 60% dos pacientes diagnosticados com câncer no Brasil receberão a indicação para o tratamento, seja ele curativo ou paliativo.

Segundo o rádio-oncologista Carlos Rebello (foto), do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV), são muitas as dúvidas das pessoas que estão enfrentando o câncer. Uma das principais é se o uso de medicamentos que não estão relacionados com a radioterapia pode prejudicar o tratamento. A resposta, segundo o médico, é não.

“Todas as medicações podem ser mantidas. É importante relatar tudo aquilo que está sendo consumido ao rádio-oncologista responsável pelo tratamento, para que ele possa direcionar o paciente de forma adequada. O uso de remédios para controlar diabetes, pressão ou qualquer outro tipo de problema não interfere no resultado da radioterapia”, esclarece o doutor.

Dados

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o total de novos casos da doença em 2019 deve ser de 600 mil.

O estudo do Inca ainda aponta que, a cada 10 casos de câncer, três estão relacionados ao estilo de vida da pessoa: tabagismo, sedentarismo, obesidade, consumo excessivo de álcool e exposição constante ao sol aumentam os riscos de desenvolver o problema. Fonte e foto Jéssica Rodrigues – vera coser comunicação

:)