Associação de catadores quer apoio para ampliar atuação

Em Santa Maria de Jetibá são recolhidas cerca de quatro toneladas de material para reciclagem por mês. Esse volume de resíduos sólidos é separado pela Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Santa Maria de Jetibá (Asca-Smajet), com a ajuda da prefeitura e empresas, que facilitam o trabalho. A experiência do município foi apresentada na quarta-feira (6) na reunião da Comissão de Assistência Social, no Plenário Judith Leão Castello Ribeiro.

Romildo Júnior, presidente da Asca-Smajet, informou que a associação iniciou suas atividades há pouco mais de um ano e é composta de quatro famílias. Uma das primeiras atividades propostas pelos catadores foi a sensibilização da sociedade por meio da realização de uma gincana, em 2016, com a participação dos alunos das escolas da cidade.

A renda das quatro famílias de catadores é baixa e pouco atrativa para possibilitar a entrada de mais associados. Segundo disse o presidente, o projeto começou com mais de dez famílias e diminuiu até o número atual. Uma das causas é a falta de estrutura para processar maior quantidade de reciclável.
 
Apoio local

Para a legalização da associação, os catadores contaram com o apoio Instituto para o Desenvolvimento do Empreendedorismo do Estado do Espírito Santo (Instituto Sindimicro), ONG contratada pelo governo para auxiliar na formação das associações de catadores. A atividade da entidade também conta com a ajuda das Secretarias Municipais de Meio Ambiente, de Assistência Social, de Serviços Urbanos, além da Câmara de Vereadores e empresários.

Logo depois do início das atividades, o grupo recebeu equipamentos como luvas, botas máscaras e protetores auriculares doados pela Cooperativa Agropecuária Centro-Serrana (Coopeavi).

Mensalmente, a associação recebe R$ 4 mil da prefeitura para pagar aluguel e demais despesas. Com a ajuda do Ministério Público Estadual, a entidade conseguiu, por meio da compensação de penas ambientais aplicadas a empresas, adquirir equipamentos como prensa, esteira e carrinho de mão.
 
Desafios

Apesar de todo esse apoio, explicou Romildo Júnior, o grupo ainda se depara com problemas estruturais. Para o resgate de famílias em situação de risco social, a associação precisa cumprir todo ou quase todo o processo de reciclagem no município. Por exemplo, ter meios de processar o lixo úmido, dispor de triturador de vidro e contar com transporte próprio para evitar gastos com frete para Vitória. Além disso, alguns materiais como a embalagem tetrapak longa vida não encontram compradores na cidade, somente na Grande Vitória.
 
Deliberação

O colegiado aprovou o projeto de lei (PL) 348/2017, de autoria da Mesa Diretora, relatado pelo deputado Doutor Hércules (PMDB), que declara de utilidade pública a Associação Vidas, do município de Aracruz.

A Comissão de Assistência Social é presidida pela deputada Eliana Dadalto (PTC) e seu vice-presidente é o deputado Doutor Hércules (PMDB). Compõem ainda o colegiado os deputados Almir Vieira (PRP), efetivo; Marcos Bruno (Rede) e Raquel Lessa (SD), suplentes.

:)