Produtores investem na avicultura e movimentam mais de R$ 17 milhões pelo Bandes

A família do Amaury João Felippe, no distrito de Capivara, em Vargem Alta é um exemplo de produtores rurais de base familiar que optaram pela avicultura como fonte de renda. Ele e os dois filhos investiram na construção de uma granja na propriedade. O investimento, que era alternativa de fonte de renda ao café, já se transforma, aos poucos, no negócio principal da família. Amaury é um dos beneficiados do Programa de Avicultura Industrial do Banco de desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), que, em 2017, movimentou R$ 17,7 milhões para expandir a oferta de frango vivo para o processamento industrial.
 
O valor é superior em mais de quatro vezes ao valor investido no mesmo período de 2016. O diretor de crédito e fomento do Bandes, Everaldo Colodetti, destaca o papel do banco neste processo. “Os programas de fomento desenvolvidos pelo Bandes incentivam toda uma cadeia produtiva, como os produtores e a agroindústria. Os programas possibilitam a diversificação de renda e o aumento da produtividades e, consequentemente, da renda do homem do campo”, enfatiza Colodetti. 
 
Os recursos são destinados a incentivar a articulação da cadeia produtiva do setor avícola e conceder mais estímulo para ampliar a cadeia produtiva ligada à agroindústria avícola capixaba, englobando investimentos para frango de corte e produção de ovos no Espírito Santo.
 
Na propriedade em Vargem Alta, o produtor Amaury está satisfeito com o investimento. “A demanda não para de crescer. No inicio de 2018 iniciaremos a construção de um novo galpão com capacidade de 33 mil aves. Estamos muito satisfeitos” destaca Maxuel Fellipe, um dos filhos de Amaury que trabalham com o pai na propriedade.

Cadeia produtiva de frango de corte possui apoio do Programa de Avicultura Industrial do Bandes

Para expandir a oferta de frango vivo para o processamento industrial em abatedouros no Espírito Santo, o Bandes articula uma parceria tríplice entre o próprio banco, a agroindústria local e os produtores do Estado para promoção de um sistema integrado no setor de avicultura. 

Com o sistema de produção avícola integrado, há vantagens para todos os lados. Para o avicultor, há a garantia de venda do produto a preços justos, o acesso à tecnologia para a construção de instalações e para a operacionalização da atividade e fornecimento de insumos (ração, pintos de um dia, produtos veterinários, além de outros). Já a agroindústria ganha com regularidade da oferta e com a possibilidade de se obter matéria prima de qualidade superior.
 
Fontes e foto Bandes

:)