Produção de uva e vinho é destaque no ES

O vinho é uma das bebidas mais antigas do mundo e, a cada dia, ganha mais e mais apreciadores. A bebida que chegou ao Brasil trazida da Europa pelos colonizadores, há tempos já é produzida em território nacional. No Espírito Santo, o cultivo de uva e a produção de vinho são orientados pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Em janeiro, frutos maduros no pé enchem a paisagem e a esperança dos produtores. A vitivinicultura está presente em 600 propriedades rurais espalhadas em 40 dos 78 municípios capixabas. Envolve em torno de mil produtores e ocupa uma área de mais de 200 hectares. A expectativa é de que a safra capixaba 2017/2018 atinja em torno de 3 mil toneladas de uvas, sendo 90% delas destinadas ao consumo in natura e 10% para processamento.

O município de Santa Teresa merece destaque, não apenas por ser um dos maiores produtores de uva e vinho, mas também pelo pioneirismo, pela expressiva área plantada, pelo conhecimento e pela transferência de tecnologias para todo o Estado. Mas é importante mencionar também os municípios de Alfredo Chaves, Santa Maria de Jetibá, Domingos Martins e Venda nova do Imigrante”, destacou Carlos Alberto Sangali de Mattos, extensionista do Incaper em Santa Teresa, que acompanha de perto, desde os primórdios, o trabalho dos produtores de uva e vinho do município.

Entre as variedades mais cultivadas no Estado, voltadas especificamente para a produção de vinhos, estão: Cabernet Sauvignon, Tannat, Bordô, BRS Lorena e Moscato Embrapa. Há também a produção de suco de uva, para a qual destinam-se pomares das variedades Bordô; BRS Carmem; BRS Cora, BRS Violeta, Isabel Precoce. A Niágara Rosada representa 80% da produção de uva para mesa, com grande expectativa para as variedades sem semente, como BRS Vitória e BRS Isis.

O Espírito Santo apresenta enorme potencial para o plantio de uva e a produção de vinho, e a ampliação do mercado faz da atividade extremamente promissora. Entretanto, os produtores ainda enfrentam desafios como o alto custo de implantação da lavoura e a falta de tradição. A fim de contribuir para superar estas limitações, o Incaper atua no sentido de orientar os produtores com relação, principalmente, à poda programada das videiras e à organização rural, oferecendo uma assistência técnica efetiva aos vitivinicultores capixabas.

Fonte e foto Incaper

:)