Coibir a corrupção e garantir a aplicação da Lei da Ficha

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse ontem (1º) que o Ministério Público Eleitoral (MPE) vai atuar em 2018 para coibir a corrupção e garantir a aplicação da Lei da Ficha Limpa nas eleições deste ano. Sem citar nomes, a procuradora falou sobre o assunto na abertura dos trabalhos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que retornou nesta quinta-feira do recesso.

Segundo Raquel Dodge, o MPE também continuará a fiscalizar o cumprimento à lei e à igualdade de condições entre todos os candidatos nas eleições de outubro. Foto O Globo

Como notícias falsas podem influenciar o eleitorado em 2018

Com a proximidade do pleito eleitoral, uma dúvida paira no ar: o que é verdade e o que é mentira na imensidão de informações a que temos acesso todos os dias na internet? Será que podemos acreditar em tudo o que lemos nas redes sociais? É óbvio que não. Segundo pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), cerca de 12 milhões de pessoas difundem notícias falsas sobre política no Brasil.
 
Como toda essa desinformação pode interferir no processo eleitoral que se aproxima? Diante da imprevisibilidade do pleito presidencial deste ano, uma pesquisa divulgada na imprensa nacional revelou que 83% dos brasileiros já se preocupam com a enxurrada de notícias falsas que circulam na internet.

“apequenar“

A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, declarou que o tribunal vai se �apequenar� se aproveitar a condenação do ex-presidente Lula para rediscutir a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância.
“Não creio que um caso específico geraria uma pauta diferente. Isso seria realmente apequenar o Supremo“, disse na noite de segunda-feira (29), ao ser questionada sobre o caso do petista.

Confiança da Micro e Pequena Empresa

O Indicador de Confiança da Micro e Pequena Empresa (MPE) atingiu 54,6 pontos em janeiro, 6,8% acima dos 51,1 pontos registrados no último mês de dezembro. Essa é a quarta vez seguida que o resultado ficou acima dos 50 pontos.

Segundo a metodologia da pesquisa, divulgada hoje (1º) pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o indicador varia de zero a 100, sendo que a pontuação acima de 50 reflete confiança dos empresários e abaixo disso, desconfiança com os negócios e com a economia.

:)