Plano de Aviação Regional pode começar por Cachoeiro

A Secretaria Nacional de Aviação Civil poderá dar continuidade, neste ano, ao Programa de Aviação Regional em aeroportos do Estado. E o Plano pode começar por Cachoeiro de Itapemirim que iniciou uma pesquisa de viabilidade para a oferta de voos comerciais. Com esse trabalho, a Prefeitura de Cachoeiro está se articulando para obter a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e começar a disponibilizar os voos no segundo semestre deste ano.

A informação da retomada do Plano de Aviação Regional foi dada pelo secretário nacional da Aviação Civil, Dario Lopes, ao deputado federal Evair de Melo (PV-ES), que busca estimular a economia regional ao integrar as diversas regiões do estado e facilitar o deslocamento de cargas e de moradores do interior. Para Evair, no momento que Cachoeiro viabiliza a retomada de voos na cidade, é importante garantir as melhorias necessárias para dar conforto e segurança para quem utilizar o serviço.

“Precisamos ter ousadia de verdade para estruturamos uma plataforma logística de pessoas e mercadorias no Espírito Santo, além da duplicação de nossas rodovias, reformas das estradas estaduais, contornos e novas malhas viárias“, defendeu  o. parlamentar capixaba. 

Em Cachoeiro, o setor mais visado como público é o de rochas ornamentais, um dos principais da região, incluindo a indústria da área metalmecânica. Os voos do aeroporto municipal Raimundo de Andrade serão para o transporte de documentos, passageiros e encomendas. A aeronave prevista é uma Grand Caravan EX, modelo mais usado nas operações regionais em território brasileiro, com dez lugares.

Integração 

Ao secretário de Aviação Civil, Evair pediu apoio para o desenvolvimento de um estudo de viabilidade técnica para embasar um projeto de integração regional pelo modal aéreo para o Espírito Santo. Em Minas Gerais, a Secretaria apoiou a implantação do Voe Minas. Criado em 2016, incialmente ligando 12 cidades do interior com a capital mineira, atualmente, 14 cidades contam com ligação aérea com a capital, além de acesso a trechos entre municípios do interior, estimulando o turismo e novos empreendimentos. As viagens são feitas em aeronaves pequenas de até 9 passageiros fretadas pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).

Para os aeroportos receberem obras de melhorias, o Plano de Aviação Regional prevê o cumprimento de três etapas: estudo de viabilidade técnica, estudo preliminar e o ante projeto. Os aeroportos de Cachoeiro, São Mateus e Colatina já estão com as duas etapas finalizadas mas, por falta de recursos no orçamento em 2017, o Governo Federal não autorizou a realização da terceira etapa do programa. 

Dos aeroportos regionais capixabas incluídos no Plano, apenas o de Linhares já passou por todas as etapas e, agora, receberá obras que estão sob a responsabilidade do Governo do Estado. O investimento está orçado em aproximadamente  R$ 30 milhões e 60% dos recursos são do Governo Federal. Fonte e foto Assessoria do Dep.Federal Evair de Melo.

:)