150 atletas vão participar do Campeonato de Bocha Paralímpica em Colatina

Colatina vai sediar no período de 29 de março a 01 de abril o Campeonato Regional Leste de Bocha Paralímpica, que será realizado no Colégio Marista, pela Associação Nacional de Desportos para Deficientes (Ande), com a participação de oito equipes envolvendo cerca de 150 atletas. A cidade vai receber as delegações que virão dos três estados que formam a Regional Leste, conforme a Associação, que envolve atletas dos estados do Espírito Santo, Rio de janeiro e Minas Gerais.

A Ande é uma entidade responsável pelo fomento e desenvolvimento das modalidades esportivas paralímpicas, praticadas pelas pessoas com paralisia cerebral (PC) como bocha, petra e futebol 7. É membro titular da Federação Internacional de Bocha Paralímpica (BISFed).

A bocha paralímpica é uma modalidade que abre portas para pessoas com grau severo de comprometimento motor e/ou múltiplo e está em mais de 50 países. Ela pode ser jogada individualmente, ou em duplas ou em equipes. É mista, pois homens e mulheres competem juntos e igualmente. Além de atletas PC, também podem participar pessoas com outras deficiências, desde que tenham o grau de deficiência exigido e comprovado.

É jogado com 13 bolas, sendo seis azuis, seis vermelhas e uma branca, todas confeccionadas com fibra sintética. O objetivo é aproximar o maior número de bolas coloridas da branca, que é conhecida como “Jack”. Para isso, é preciso habilidade e eficiência, além das técnicas e táticas adequadas. São quatro classes, de acordo com o grau da deficiência do atleta.

A BC1 é destinada apenas para atletas com PC, que podem jogar com as mãos ou com os pés e podem ter um auxiliar para entregar a bola. Na BC2 e na BC4, nenhum auxiliar é permitido e um suporte ou cesto para bola pode ser adaptado. Na classe BC2, o atleta apresenta quadro de paralisia cerebral, e na BC4 qualquer outro quadro de origem não cerebral, como distrofia muscular progressiva, esclerose múltipla, lesão medular com tetraplegia, etc.

Na BC3, é o atleta com maior grau de comprometimento motor. Nesse caso ele pode ser assistido por alguém que tem a função de direcionar a calha seguindo exatamente as indicações do jogador.

Fonte Prefeitura de Colatina e foto redesim

:)