“A indústria tem um papel fundamental na recuperação econômica do país”, diz presidente do BNDES

Para o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), Paulo Rabello de Castro, a indústria será protagonista na retomada do crescimento do país. O economista esteve na quinta-feira (22) na Findes para participar do Conexão Cindes, evento realizado em parceria com o Ibef-ES (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças).

Rabello apresentou o planejamento estratégico do banco até 2035, que é praticamente uma proposta para o desenvolvimento do Brasil. “A indústria traz, mais que qualquer outro segmento, a inovação. E o BNDES pretende estar junto daqueles que quiserem empreender nessa área”, destacou.

Segundo o presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, o fortalecimento da indústria capixaba contribui diretamente para o crescimento do Espírito Santo. “Um Estado que tem uma indústria forte, gera mais oportunidades. A indústria é um investimento que cria raízes e que desenvolve toda cadeia produtiva. É onde estão os maiores salários e é a responsável por 2/3 dos investimentos em inovação no Brasil. Então, essa aposta do BNDES na indústria é o que também acreditamos”.

Com o fortalecimento das indústrias e a estabilização da economia, o presidente do BNDES lançou um desafio para o Estado e para o governador Paulo Hartung, também presente no evento: crescer entre 50% a 100% a mais que o PIB do país. “Enquanto falamos em uma taxa média de 3,5% ao ano para o Brasil, o Espírito Santo precisa crescer na faixa de 4,5% a 5% ao ano”, propôs.

Investimentos no ES

O total de desembolsos do BNDES para o setor privado no Espírito Santo cresceu 13,9% em 2017, totalizando R$ 630 milhões. Desse total, a maior alta foi para o setor de infraestrutura, chegando a 93%. O setor industrial teve queda de desembolsos de 18%, o que representou R$ 91 milhões em todo o ano passado.

Confira aqui o total de desembolsos do BNDES no Espírito Santo em 2017:
Indústria: R$ 91 milhões
Infraestrutura: R$ 280 milhões
Comércio e Serviços: R$ 151 milhões
Agropecuária: R$ 110 milhões

Por: Camila Uliana/Bandes

:)