Contratação emergencial médica de ambulância

No dia 28 deste na sessão da Câmara Municipal de Colatina o vereador Renann Bragatto (PHS/ES), alertou aos colatinenses o que aconteceu no dia 20 de março de 2018, publicada no Diário Oficial do Estado, a contratação emergencial médica de ambulância UTI MÓVEL, feita pela Secretária Estadual de Saúde (SESA), por 90 dias, no valor de R$ 627,261,000 para transportar paciente do Hospital Silvio Ávidos para fazer exames médicos.

Segundo o vereador, esses exames tem que ser feito no Hospital. Ele lembrou (exemplo) com a contrato emergencial de remoção feita pela Sesa daria para fazer a mais 33 mil RX e 3.670 tomografias entre outros exames, sem remover o paciente dentro do Hospital.

Plenário tem oito urgências para analisar hoje

Oito urgências integram a pauta da sessão ordinária desta quarta-feira (30), na Assembleia Legislativa, a partir das 9 horas. Das matérias com prioridade de votação, quatro são de autoria do governo estadual. É o caso da Projeto de Lei (PL) 133/2018, em que o Executivo pede autorização para contratar operação de crédito com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de até R$ 188 milhões para investir em segurança pública, abrangendo o reaparelhamento das polícias Militar e Civil e a ampliação do sistema prisional. O projeto receberá em plenário parecer oral das comissões de Justiça, Segurança e Finanças.

Suspensão a novos cursos de Medicina

Uma portaria do Ministério da Educação (MEC) que suspende por cinco anos a abertura de novos cursos de Medicina e o aumento de vagas no País vem sendo motivo de divergência entre autoridades. Para debater a medida, a Comissão de Educação recebeu nesta terça-feira (29) representantes do Ministério Público Federal (MPF) e do Conselho Regional de Medicina (CRM-ES).

O principal ponto de divergência entre as partes é a necessidade de médicos no mercado. Para o presidente do CRM-ES, Carlos Magno Dalapicola, o mercado de trabalho hoje não absorve todos os profissionais. “No Espírito Santo, formamos 400 médicos por ano e temos apenas 180 vagas para residência, ou seja, não tem vaga pra todo mundo”, explicou.

Deputados comentam situação do País

A dependência do modal rodoviário e a falta de uma ampla reforma tributária foram fatores apontados como pano de fundo por deputados que repercutiram nesta segunda-feira (28) as manifestações e paralisações de caminhoneiros em todo o Brasil. Para o deputado Dary Pagung (PRP), a população brasileira esgotou-se com uma carga tributária que não refletiria em qualidade de serviços públicos.

“Quero parabenizar os caminhoneiros. Antes de uma reforma política, precisamos debater a nível nacional uma reforma tributária. A população não aguenta mais pagar tantos impostos para bancar essa máquina pública inchada. Precisamos também que o Congresso faça a reforma previdenciária”, defendeu. Os deputados Sergio Majeski (PSB) e Da Vitória (PPS) foram na mesma linha de Pagung.

Aprovado no senado

A Comissão de Educação (CE) do Senado Federal aprovou na terça (29) o PLC 17/2018 (Lei Lucas), que torna obrigatória a capacitação em noções básicas de primeiros socorros aos professores e funcionários das escolas públicas e privadas. A medida abrange os profissionais da educação básica e da recreação infantil. A proposta segue agora para a Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

Relatora da matéria na CE, a senadora Rose de Freitas (Podemos-ES) argumenta que “uma instituição educacional tem de cuidar da integridade física dos seus alunos. A partir do momento em que ele [aluno] passa do portão e está sob os cuidados da instituição, não pode ser uma preocupação única e exclusivamente com a matéria didática”.

:)