Queimaduras: perigo está em casa, alerta médica do Infantil

O perigo está em casa. A maior parte das ocorrências de queimaduras acontece dentro das residências, segundo a cirurgiã plástica Rosalie Matuk Fuentes Torrelio, que atua no Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, em Vitória. A médica apresentou as ações de conscientização e prevenção de queimaduras, durante reunião ordinária da Comissão de Saúde e Saneamento, na terça-feira (19). Junho é o mês de luta contra esse tipo de lesão.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 20,8 mil crianças de 0 a 14 anos foram hospitalizadas no país vítimas de queimaduras. Em 2016, 209 crianças dessa faixa etária morreram por esse motivo e, desse total, 77 tinham entre 1 e 4 anos de idade.

“Temos que ter pequenas atitudes em casa para evitar grandes problemas”, ressaltou a profissional, acostumada a lidar com crianças queimadas, principalmente devido a acidentes domésticos. “Até os 4 anos, as crianças não têm capacidade de reconhecer riscos”, informou. Por isso, segundo a médica, não adianta simplesmente alertá-las, é preciso prevenir algumas situações que podem causar algum acidente.

As principais medidas são evitar que as crianças fiquem na cozinha; preparar a comida nas bocas de trás do fogão e com os cabos das panelas voltados para dentro; não carregar crianças no colo enquanto se cozinha; deixar as comidas e líquidos quentes no centro da mesa; não utilizar toalhas de mesa compridas ou jogos americanos; verificar a temperatura da água do banho das crianças; e desligar o ferro de passar roupas ao terminar, retirando-o da tomada e guardando-o fora do alcance das crianças.

A médica ressaltou que, até os 4 anos de idade, as crianças estão passando por um período intenso de descobrimento e curiosidade, o que pode acarretar em acidentes. “E o tratamento é dolorido, demorado, precisa de internação e a criança fica afastada de sua casa e de seu ambiente”, frisou.

Como bem lembrou o presidente da comissão, deputado Dr. Hércules (MDB), não existe vacina contra queimadura. Por isso, os pais e responsáveis precisam tomar os cuidados necessários para proteger os seus filhos de possíveis lesões.

Como agir

A médica Rosalie Torrelio alertou que, em caso de queimadura, a vítima não deve utilizar receitas caseiras, como passar pó de café, manteiga, óleo ou ovo na lesão. “Queimadura não é um bolo”, disse.

O procedimento correto é, primeiramente, interromper o processo de queimadura. Depois, remover roupas, joias, anéis, piercings e próteses; lavar o local afetado com água corrente; envolver o machucado em panos limpos; e procurar atendimento médico especializado. “Se não puder ir ao hospital, chame o Samu 192”, orientou. Por: Titina Cardoso ALES - Foto: Tati Beling

:)