SesiViva+ será apresentado às regionais da Findes

Nas próximas semanas, as regionais da Findes irão conhecer o SesiViva+, a nova plataforma online do Sesi que facilita o acesso às informações e à tomada de decisões sobre investimentos em segurança e saúde dos trabalhadores (SST) na indústria.

O canal possibilita às empresas reunir em um ambiente único um conjunto de ferramentas como programas especializados, campanhas, conteúdos técnicos e canais de relacionamento para gestores da indústria implementarem ações de melhoria da gestão de SST e de estímulo à construção de um ambiente seguro e saudável.

O evento acontece para as regionais de Vitória, Serra e Aracruz na próxima terça-feira (21); na quinta-feira (23), será a vez de Colatina. No dia 28, o lançamento será feito para a regional de Linhares; no dia 03 de setembro, quem conhece o SesiViva+ é Cachoeiro de Itapemirim.

Mas, porque aderir ao SesiViva+? Abaixo te damos 7 bons motivos para isso. Confira!

1) Gestão do eSocial
O SESI Viva+ prepara e apoia empresas no atendimento às questões relativas à SST no eSocial – sistema que comunica ao governo, de forma unificada, informações sobre saúde e segurança dos trabalhadores. O SESI fornecerá às empresas um sistema com todos programas legais parametrizados conforme exigências do eSocial, englobando módulos como higiene ocupacional, ergonomia, análise de riscos, saúde e segurança no trabalho.

2) Gestão de segurança e saúde no trabalho
A plataforma fornece painéis de indicadores para apoiar gestores empresariais em decisões relativas às ações prioritárias de segurança e saúde no trabalho. Com essa ferramenta, é possível identificar riscos legais e processos de segurança e saúde no trabalho e perfis de saúde e estilo de vida do trabalhador para melhorar a gestão de SST.

3) Gestão dos afastamentos de trabalhadores (FAP)
Por meio da nova plataforma online do Sesi, será possível fazer uma melhor gestão dos afastamentos por doenças e acidentes de trabalho e monitorar os indicadores que impactam no Fator Acidentário de Prevenção (FAP), índice que integra cálculo de contribuição de incidência de afastamentos acidentários sobre a folha de pagamento das empresas.

4) Gestão de segurança e saúde no trabalho para cadeia de fornecedores
Na plataforma SESI Viva+, indústrias podem acompanhar a gestão de segurança e saúde no trabalho de seus fornecedores, já que têm responsabilidade subsidiária em relação a empregados terceirizados. Contarão com sistema de gestão em segurança e saúde no trabalho integrado que terá dados e informações sobre cumprimento de requisitos legais e qualificação e avaliação de fornecedores. A partir daí, será possível monitorar a qualidade e a necessidade de capacitação e aperfeiçoamento da gestão de segurança e saúde na cadeia de fornecedores.

5) Gestão de conteúdos técnicos
Empresas podem usar a plataforma do SESI Viva+ para armazenar e compartilhar com trabalhadores conteúdos técnicos de segurança e saúde no trabalho, como políticas da empresa, procedimentos de SST, informes diários de segurança, vídeos de capacitação e sensibilização e informações sobre campanhas de SST. Além disso, a ferramenta disponibiliza conteúdos personalizados que ajudam trabalhadores e empresas a superarem seus principais desafios relacionados à adoção de hábitos mais saudáveis e à segurança e saúde no trabalho. Entre os quais estão dados sobre a saúde dos trabalhadores, notícias e artigos para melhorar a gestão de SST e estimular os trabalhadores a criar hábitos saudáveis.

6) Canal de relacionamento entre indústria e trabalhadores
Canais web personalizados permitem que empresas e trabalhadores interajam para superar seus principais desafios relacionados à segurança e saúde no trabalho e adoção de hábitos mais saudáveis. Para isso, o SESI Viva+ disponibiliza redes sociais para interação entre empresa e empregados. Nesses espaços, há trocas de experiências, dicas e notificações importantes, como de campanhas de saúde que mobilizam toda a empresa.

7) Promoção da saúde e prevenção de doenças
Com o SESI Viva+ será possível desenvolver modelos para identificação e monitoramento de trabalhadores com doenças crônicas não-transmissíveis, como doenças cardiovasculares, doenças respiratórias crônicas, diabetes e câncer. Para desenvolver medidas de redução de custos com planos de saúde, serão produzidos estudos epidemiológicos a partir de dados da operadora de saúde suplementar da empresa.

:)