Vacina contra a dengue é ampliada para municípios da Região Sul de Saúde

Na sexta-feira (07), todos os 78 municípios capixabas estão aptos a realizar a vacinação contra a dengue em crianças e adolescentes de 10 a 14 anos

Na sexta-feira (07), todos os 78 municípios capixabas estão aptos a realizar a vacinação contra a dengue em crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. Em definição da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), com apoio do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde do Espírito Santo (COSEMS/ES), a Secretaria da Saúde (Sesa) iniciará o envio das doses aos 26 municípios da Região Sul de Saúde.

A ampliação é uma estratégia estadual para otimizar o estoque de doses das vacinas existentes, mas não relacionadas àquelas, cujo lote é de vencimento próximo. Para essas doses, o remanejamento e otimização estão sendo feitos pelas regionais de saúde que já iniciaram a vacinação.

Ao todo, serão encaminhadas à Região Sul a primeira remessa com 8.200 doses contemplando cerca de 20% da população-alvo, que é de 41.006 crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. Com o recebimento de novas doses pelo Ministério da Saúde, a Sesa fará a complementação e as devidas reposições quanto aos remanejamentos.

Os municípios que compõem a região Sul de Saúde são: Alegre, Alfredo Chaves, Anchieta, Apiacá, Atílio Vivácqua, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itapemirim, Iúna, Jerônimo Monteiro, Marataízes, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Piúma, Presidente Kennedy, Rio Novo do Sul, São José do Calçado e Vargem Alta.

Eles poderão fazer o agendamento para a retirada das doses a partir desta sexta-feira (07) na Rede de Frio da Superintendência Regional Sul de Saúde, localizada em Cachoeiro de Itapemirim, para darem início à imunização.

A vacinação contra a dengue no Espírito Santo

O início da vacinação contra a dengue no Espírito Santo aconteceu em março deste ano, com as 23 cidades da Região Metropolitana, seguindo as definições técnicas do Ministério da Saúde. E, desde abril, o Estado já havia ampliado a vacinação para mais 29 municípios da Região Centro-Norte de Saúde.

Até esta quinta-feira (06), segundo dados do Sistema Vacina e Confia, foram aplicadas 41.950 primeiras doses, com uma cobertura vacinal de 28.79% do público-alvo de 10 a 14 anos. A aplicação da segunda dose também já se iniciou no Estado, com 1.646 registradas, com uma cobertura de 1.13%.

O Ministério da Saúde definiu para 2024 o público-alvo da vacina contra a dengue de crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. A priorização deste grupo ocorre em virtude de ser a faixa etária que concentra o maior número de hospitalizações por dengue no País, depois de pessoas idosas, grupo para o qual a vacina não foi liberada pela Anvisa, e também pelo número limitado de doses ainda disponíveis. A vacina contra a dengue apresenta um esquema de duas doses, com intervalo mínimo de três meses entre a 1ª e a 2ª dose.

Informações à Imprensa:

PL obriga análise semanal das águas das praias do ES

Segundo o deputado, o Brasil é o quinto maior país com extensão litorânea: são mais de 8 mil km².

Projeto de lei (PL) assinado pelo deputado Gandini (Cidadania/ES) obriga as prefeituras a realizarem a análise da balneabilidade das praias, semanalmente, classificando-as em próprias, impróprias ou interditadas para os banhistas que buscam a prática da natação, mergulho e lazer. 

Segundo o deputado, o Brasil é o quinto maior país com extensão litorânea: são mais de 8 mil km², “sendo alguns destes recursos utilizados comumente para recreação e lazer de muitos cidadãos”, frisa. “É impreterível que tais bens públicos estejam em boas condições de uso”, completa.

Conforme o PL 5/2023, a análise da qualidade das águas deverá seguir as diretrizes da Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente 274/2000. Além disso, o resultado deverá ser disponibilizado em pontos de maior concentração de frequentadores, bem como no site do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema).

Se for aprovada e virar lei, a medida entrará em vigor 90 dias após a publicação em diário oficial.  

Tramitação 

A matéria tramitará pelas comissões de Justiça, Meio Ambiente e Finanças. Fonte ales e foto pmvv